quarta-feira, 30 de abril de 2008

Semana do Enterro - Aveiro 2008


A Semana do Enterro já tem cartaz. De volta ao Estádio Municipal, a festa académica terá este ano oito dias de animação. Do programa, para além das presenças habituais, destacam-se os Irmãos Verdades e o DJ e rapper brasileiro MC Cidinho.

Em vez dos habituais seis dias, a Semana do Enterro terá este ano oito dias de animação musical, com um programa paralelo de actividades culturais e desportivas que se prolonga por duas semanas, com início a 25 de Abril. O FITUA – Festival Internacional de Tunas da Universidade de Aveiro acontece nos dias 25 e 26, sexta-feira e sábado, no Centro Cultural e de Congressos. Na música, as presenças são as habituais em festas académicas: Mind da Gap, Xutos e Pontapés, David Fonseca, Blasted Mechanism, Quim Barreiros. A novidade são os Irmãos Verdades, a banda africana que mais se tem destacado em Portugal. Tocam kizomba e outros ritmos africanos e são autores de temas como «Yolanda» ou «Isabella». Do programa de concertos faz parte ainda uma banda de baile, a Meidin, que vai animar a noite de 1 de Maio. Este ano não haverá tenda discoteca. Os DJ’s actuam no palco principal, após os concertos. A 30 de Março, o recinto do Enterro do Ano, que volta a localizar-se nas imediações do Estádio Municipal, recebe MC Cidinho e MC Doca, DJ’s vindos do Rio de Janeiro para actuar pela primeira vez em Portugal. São responsáveis pelo «Rap da Felicidade», tema que integra a banda sonora do filme «Tropa de Elite», de José Padilha, vencedor do Urso de Ouro de Melhor Filme em Berlim. Na programação paralela destaca-se a Corrida de Bateiras, dia 26, a Serenata à Ria, a 27, que este ano terá lugar em frente ao edifício da Capitania, o Rally das Tascas, a 28, e o desfile do Enterro, a 1 de Maio. Nos dias 28, 29 e 30, pelas 16 horas, o GrETUA - Grupo de Teatro Experimental da Universidade de Aveiro levará teatro de rua ao centro da cidade. Do recinto fará parte uma tenda para concertos, uma tenda para as barracas de curso, uma praça de alimentação, uma praça de diversões e uma pista de carrinhos de choque. De acordo com a Associação Académica da Universidade de Aveiro, a Câmara de Aveiro volta a assegurar o transporte entre o centro da cidade e as imediações do estádio, desta vez até às 7.30 horas.


Soraia Amaro

sábado, 19 de abril de 2008

Memória - Carlos Drummond de Andrade

Amar o perdido

deixa confundido

este coração.

Nada pode o olvido

contra o sem sentido

apelo do Não.

As coisas tangíveis

tornam-se insensíveis

à palma da mão.

Mas as coisas findas,

muito mais que lindas,

essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Sai um "Coelho" da cartola de Menezes

Luís Filipe Menezes foi mais uma vítima do PSD. Ninguém duvida da sua ousadia ao candidatar-se contra Marques Mendes e todos os principais barões do partido, que nunca lhe perdoaram a derrota que lhes impôs nas primeiras directas "laranjas".

Parecia que vinha aí um novo Sá Carneiro. Enganei-me. Muito estadista e com discursos gastos, rapidamente deixou de agradar tanto a gregos como a troianos. Menezes tinha-me desiludido 15 dias depois de eleito, conforme escrevi aqui no meu Blog. Precisava de voltar-se para o país e as maleitas quee o afectam mas preferiu olhar para o umbigo (leia-se, o partido).


Os "os elitistas, sulistas e liberais" não lhe perdoaram, e nem esqueceram, a célebre frase do saudoso congresso do Coliseu, em 1995. Agarrou-se a Santana Lopes para dizer que tinha Lisboa com ele. Mas Lisboa não gosta de nortenhos intrometidos e tudo fez para correr com ele. Pediram a um nortenho (deu menos nas vistas) para incendiar (Pacheco Pereira) e a outro para o golpe misericordioso (Aguiar Branco).


Menezes tinha tudo contra si. Os portugueses não se reviam nesta oposição. O partido estava dividido.


CENAS DO PRÓXIMO CAPÍTULO: Pedro Passos Coelho surge como um "D. Sebastião". Lembro-me dele no Congresso da JSD em 1993 (na Figueira da Foz), onde estive com os meus amigos Jorge São José, Jorge Ratola, Jorge Oliveira e Elmano Jorge (como eu também sou Jorge, mais parecia uma convenção de Jorges). Pedro Passos Coelho e Gonçalo Capitão ficaram-me na memória desde essa altura. Passos Coelho vai ter de falar para o país e não para o partido. Assim conseguirá a confiança que a oposição tanto procurava.

Segredo - Carlos Drummond de Andrade

A poesia é incomunicável.
Fique torto no seu canto.
Não ame.
Ouço dizer que há tiroteio
ao alcance do nosso corpo.
É a revolução? o amor?
Não diga nada.
Tudo é possível, só eu impossível.
O mar transborda de peixes.
Há homens que andam no mar
como se andassem na rua.
Não conte.
Suponha que um anjo de fogo
varresse a face da terra
e os homens sacrificados
pedissem perdão.
Não peça.

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Eternos Momentos!

Há momentos que são eternos.
Fracções de segundo,
minutos,
um fim-de-semana!
Há emoções que não se repetem
por mais que voltemos ao mesmo lugar...
Há pessoas que nos marcam.
Para sempre.
E só as vimos durante uma ínfima fracção
da nossa vida efémera.
Há razões que desconhecemos,
por mais que nos esforcemos
em tentar compreender.
O que nos impede de andar
é o medo do futuro
ou a experiência do passado.
E quando parece que tudo vai bem...
surgem momentos
que se repetem.
Eternos momentos!